No comments yet

“Dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus.” (Mc, 12, 17)

Ana Cristina, Rafaela e Atílio

Embora nossa experiência com Deus seja pessoal e intransferível, nossa vivência de fé com certeza é aprendida e incentivada, em primeiro lugar, na família. E foi com minha mãe, em especial, que aprendi a praticar o que Jesus nos diz por meio de Marcos: a honrar todas as minhas dívidas terrenas, em dia, e a reconhecer, por meio da devolução do dízimo, as graças que Deus nos dá todos os dias. Vê-la, a cada mês, dar a Deus o que é de Deus primeiro, mesmo nos tempos de maior dificuldade, e ouvi-la relatar o quanto Deus era fiel e literalmente fazia seu salário render foi um grande testemunho para que hoje eu pudesse estar aqui dando meu testemunho.

Este ano completo 11 anos na Comunidade Vida Nova, e desde que a Comunidade sistematizou o recolhimento do dízimo, tenho buscado ser fiel como dizimista e benfeitora, auxiliando a Comunidade financeiramente quando necessita, sobretudo no empréstimo de folhas de cheque para as compras da fábrica. E por que isso? Não é pura e simplesmente generosidade, mas principalmente consciência de que, nesses 11 anos, é a Comunidade que sustenta a minha caminhada de fé, auxiliando-me a dar passos seguros rumo ao Pai e me apoiando nos momentos mais difíceis. E é devido a todo esse aprendizado que tenho conseguido estar mais perto de Deus, ouvir o que Ele deseja para mim e consequentemente receber mais bênçãos. Na verdade só estou devolvendo a Deus todo bem que tenho recebido dEle por meio da minha participação na Comunidade.

Vejo claramente que quanto mais sou fiel no meu doar, mais Deus tem sido fiel para comigo. Nesses anos de caminhada, o Senhor me deu grandes vitórias: estabilidade em bons empregos com bons salários, um casamento seguro, bens materiais, uma filha saudável, qualidade de vida em todos os sentidos… E quando algo me entristece, sou surpreendida pela sua misericórdia, transformando a situação e me dando mais do que eu imaginava conquistar.

Mas de tudo isso, a lição maior que a fidelidade em ser dizimista traz para mim é a de ser feliz. Dar de graça o que recebemos de graça nos deixa leves (a avareza pesa) e livres (a preocupação em ter aprisiona). E de alma despojada, estamos mais abertos à ação de Deus.

Ana Cristina Pereira Martins, Serva
Comprometida da ComunidadeVida Nova.

Poste seu comentário